Patrocínio Logo TV Alterosa
Euro R$ 6,29
Dólar R$ 5,54
Sol com aumento de nuvens ao longo do dia. À noite ocorrem pancadas de chuva.
Belo Horizonte
30º 17º

Doce de leite Viçosa é reconhecido como interesse cultural

Assembleia Legislativa de Minas Gerais aprova proposta, que agora segue para apreciação do governador Romeu Zema

O produto é fabricado pelo setor de laticínios da Fundação Arthur Bernardes (Funarbe), ligada à UFV (Foto: Divulgação).
Vivia de Lima
17 de novembro de 2021
compartilhe

O processo de fabricação do doce de leite Viçosa foi reconhecido como de interesse cultural de Minas Gerais pelo plenário da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) nesta quarta-feira (17). O produto é fabricado pelo setor de laticínios da Fundação Arthur Bernardes (Funarbe), ligada à Universidade Federal de Viçosa (UFV), na Zona da Mata de Minas, e coleciona diversos prêmios pela sua qualidade.

A decisão foi a favor do Projeto de Lei 632/2019, de autoria do deputado Coronel Henrique (PSL). O plenário da ALMG já havia aprovado, em maio, a proposta de ser considerado um patrimônio imaterial, mas a redação teve que ser adequada pela Comissão de Cultura. O órgão apontou a necessidade de haver estudos técnicos e minuciosos para validar a atribuição. Na redação disponibilizada, é indicado que a declaração sobre o patrimônio cultural deve ser exclusiva do Poder Executivo. Nesse caso, no entanto, eles pontuam que o Poder Legislativo também possui “prerrogativa de reconhecer a relevância cultural, ainda que não atenda aos critérios estabelecidos para ser declarado patrimônio cultural”.

O projeto de lei será encaminhado para sanção ou veto do governador Romeu Zema (Novo).

Doce de leite Viçosa

O doce de leite Viçosa é reconhecido por muitos mineiros por seu processo de produção de alta qualidade e contribui ativamente com a economia da cidade em que é produzido. No mercado desde 1988, já ganhou dez premiações no Concurso Nacional de Produtos Lácteos (2001, 2004, 2006, 2008, 2011, 2012, 2013, 2015, 2016 e 2019). Também recebeu, em 2016 e 2017, a condecoração Frente Gastronomia Mineira e do Instituto Eduardo Frieiro pelo importante trabalho em valorizar a cultura gastronômica mineira. A princípio, a produção do doce tinha como perspectiva atender às necessidades locais, principalmente relacionadas à Universidade Federal de Viçosa, mas atualmente já é vendido em todo o Brasil e até mesmo internacionalmente.

compartilhe