Patrocínio Logo TV Alterosa
Euro R$ 5,45
Dólar R$ 5,19
Sol com algumas nuvens. Não chove.
Belo Horizonte
25º 13º

Inverno começa hoje e pode causar impactos na produção agrícola

Os próximos meses serão de dias gelados em boa parte do país, além da possibilidade de ocorrência de geada, o que preocupa agricultores

Há possibilidade de geada em várias partes do país. (Foto: Faep)
Ricardo Miranda
21 de junho de 2022
compartilhe

O inverno começa oficialmente hoje e se estende até o dia 22 de Setembro. Segundo meteorologistas, este ano a estação será marcada pelo frio ainda mais intenso, com temperaturas abaixo da média, principalmente em algumas regiões do país. Massas de ar polar devem chegar ao Brasil e há possibilidade de ocorrência de neve e geada em vários estados. Para os agricultores, a nova estação traz alertas para os agricultores.

Ondas de frio podem causar problemas nas lavouras. (Foto: AEN-PR)

Segundo meteorologistas, em função dos reflexos do fenômeno La Niña, o inverno brasileiro deste ano deve ser marcado pela redução do volume e frequência da chuva na região Centro-Sul do país, enquanto no Norte a situação será contrária, com maior volume de precipitação. Ao longo dos próximos meses, várias massas de ar frio devem avançar sobre o continente, derrubando as temperaturas.

De acordo com o Clima Tempo, massas de ar frio de origem polar, que são mais fortes e duradouras, devem chegar ao Brasil na virada de Junho para Julho. Em Agosto, a possibilidade de ocorrência de geada aumenta, com a chegada de uma frente fria ainda mais intensa. Em Setembro, já na reta final do inverno, a chegada de massas de ar polar diminui, reduzindo o risco de geada, mas as temperaturas vão se manter abaixo da média. A partir da segunda quinzena do mês os termômetros começam a subir.

Alerta para a agricultura

A queda nas temperaturas traz preocupação para agricultores, principalmente para os que trabalham com o plantio de culturas mais sensíveis, como as hortaliças e verduras em geral. Mas meteorologistas alertam que também há risco de impactos nas lavouras consideradas “carros-chefe” da produção agrícola brasileira, como milho e soja.

Como há risco de geada em várias partes do país, agricultores precisam ficar atentos e adotar medidas capazes de minimizar os impactos nas plantações. Apesar de não ser possível evitar a ocorrência da geada, nem prever a intensidade do fenômeno, há estratégias que podem ser colocadas em prática, no campo, para reduzir os prejuízos nas plantações.

compartilhe