Patrocínio Logo TV Alterosa
Euro R$ 6,35
Dólar R$ 5,64
Sol com algumas nuvens. Não chove.
Belo Horizonte
32º 16º

Adolescente cria canal para divulgar café da família

O jovem gera conteúdo sobre a cafeicultura na propriedade onde mora

Isaque na lavoura
O adolescente de 13 anos induziu o pai a produzir café especial. (Foto: Canal Diário do Cafeicultor)
Washington Bonifácio
23 de novembro de 2021
compartilhe

O Isaque Samuel de Sousa Batista de apenas 13 anos já sonha alto. Ele quer se tornar referência na internet sobre cafeicultura. A ideia de criar o canal surgiu depois que ele conheceu a cafeicultura especial.

“Já tinha visto a questão do café especial em vídeos na internet e passei a pesquisar mais, não apenas sobre a produção, mas também sobre comercialização. Uma tia minha esteve na Semana Internacional do Café e falou sobre os cafés especiais que viu por lá. Isso me deixou ainda mais curioso sobre o assunto. Foi então que disse para o meu pai que nós tínhamos que produzir cafés especiais e, junto, veio a ideia de criar o canal na internet chamado O Diário do Cafeicultor, explicou Isaque.

Conteúdo do canal

Nos vídeos, Isaque aparece explicando sobre o assunto e entrevistando especialistas. O jovem mora com os pais no Sítio Boa Vista, em Caratinga. Os produtores rurais José de Lurdes Batista e Sandra Regina de Sousa Batista são atendidos pelo Programa de Assistência Técnica e Gerencial (ATeG) Café+Forte do Sistema FAEMG.  Foi por influência de Isaque que o pai resolveu apostar na produção de cafés especiais.

Família de Isaque no cafezal

Isaque, o pai, a mãe e o irmão mais velho são cafeicultores de Caratinga, no Leste de Minas. (Foto: Senar MG)

“Trabalho com café desde muito novo, junto com meus pais. O Isaque passou a pesquisar muito na internet sobre cafés especiais e acabou fazendo a minha cabeça para eu produzir esse tipo de café. A primeira coisa que fiz foi buscar apoio.”, contou José de Lurdes.

O Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar) do sistema FAEMG, orientou a família sobre como iniciar uma produção de cafés especiais. Todos fizeram os cursos e hoje a propriedade faz os tratos culturais e tem o terreiro suspenso. O próximo passo é conquistar mercado.

 “Agora estamos tentando entrar no mercado de cafés especiais. Em um concurso de Cafés Especiais, promovido pela Emater, no ano passado, nós não ganhamos, mas conseguimos uma boa classificação e olha que nem havíamos mandado o nosso melhor café. As nossas perspectivas são as melhores possíveis”, contou o adolescente.

Se inscreva no canal do Isaque e ajude a fomentar a cafeicultura especial em Caratinga, no Leste de Minas.

compartilhe