Patrocínio Logo TV Alterosa
Euro R$ 6,25
Dólar R$ 5,33
Sol com algumas nuvens. Não chove.
Belo Horizonte
34º 19º

Fazenda se torna autossuficiente em energia elétrica

Com uso de energia solar e biogás, propriedade não utiliza mais energia elétrica fornecida pela CEMIG. Economia é de mais de R$20mil por mês

Propriedade de 86 hectares tem mais de 300 vacas em lactação. (Foto: Ricardo Miranda)
Ricardo Miranda
20 de setembro de 2021
compartilhe

As despesas com energia elétrica sempre estiveram entre os cinco maiores gastos de uma propriedade voltada pra criação de gado leiteiro em Formiga, na região Centro-Oeste do estado. De um ano pra cá, com o investimento em fontes renováveis, os produtores rurais conseguiram tornar a propriedade autossuficiente em produção de energia, gerando uma economia de R$22mil reais por mês.

Placas solares foram instaladas no teto dos galpões de confinamento de gado. (Foto: Grupo Renovigi)

O processo começou há um ano, com a instalação de placas solares. A usina fotovoltaica montada na propriedade tem capacidade de produzir metade da energia utilizada na fazenda. Para alcançar a autossufiência e não utilizar mais a energia elétrica fornecida pela CEMIG, os produtores rurais construíram biodigestores pra produção de biogás.

O processo funciona em três etapas. Tudo começa nos galpões onde as mais de 300 vacas da propriedade ficam confinadas. O esterco é recolhido e levado para um equipamento que faz a separação da parte sólida. O líquido, em seguida, cai nos tanques biodigestores, que ficam cobertos por lonas. Nessa etapa as bactérias processam a matéria orgânica e geram o biogás, que serve de combustível para o gerador de energia. Com o que é produzido dessa forma a fazenda consegue abastecer a outra metade do consumo de energia elétrica da fazenda.

Tanques biodigestores, onde matéria orgânica é processada por bactérias para produção do biogás. (Foto: Ricardo Miranda)

Somando os KW (quilowatts) produzidos pelos painéis solares e pelo biogás, a fazenda consegue abastecer totalmente o consumo das máquinas e equipamentos. Dessa forma, a propriedade atingiu a autossuficiência energética. “Tem sido uma experiência incrível, porque a economia financeira superou nossas expectativas. Em pouco tempo vamos recupera todo o investimento feito para instalar as placas solares e também o que foi gasto com os biodigestores”, avalia o produtor rural Douglas Rodrigues.

Benefícios para o meio ambiente

Além de gerar economia financeira, o uso do biogás traz benefícios para o meio ambiente. Depois que a matéria orgânica é processada nos biodigestores, o rejeito é um líquido escuro e praticamente sem cheiro. Esse material é levado para dois tanques de armazenamento para não causar impactos à natureza.

Tanques de armazenamento do líquido que sobra do processo. Material é usado para lavar o chão dos galpões. (Foto: Ricardo Miranda)

O líquido que sobra do processo e fica armazenado nos tanques é utilizado na propriedade para lavar o chão dos galpões de confinamento do gado. É uma forma de reaproveitar o material e gerar ainda mais economia, já que diminui o consumo de água potável. Além disso, o líquido também é usado na irrigação das áreas de plantio da propriedade e ajuda na fertilização do solo.

Douglas Silva explica que a matéria orgânica restante nos biodigestores, removida após o processamento das bactérias, também pode ser utilizada como adubo nas plantações. “É um processo completo. A gente gera economia, reduzindo os gastos com energia elétrica, e também minimiza os impactos para o meio ambiente, sem impactos para a natureza”, finaliza o produtor rural.

compartilhe