Patrocínio Logo TV Alterosa
Euro R$ 6,47
Dólar R$ 5,72
Sol com muitas nuvens. Pancadas de chuva à tarde e à noite.
Belo Horizonte
26º 18º

Presidente da Abraleite pede união dos envolvidos na cadeia leiteira

Congresso Nacional aprovou medidas emergenciais que beneficiam produtores leiteiros

Preço do leite tem sido alvo das discussões entre produtores (Foto: Pixabay)
Vivia de Lima
5 de janeiro de 2022
compartilhe

A pecuária leiteira foi uma das cadeias que mais sofreram durante o ano de 2021. O valor pago pelo litro de leite perdeu valor de mercado quando o assunto é custo de produção. Durante o ano, principalmente os pequenos produtores optaram pelo descarte de animais e até abandonaram a atividade em virtude dos prejuízos. A informação foi confirmada pela Abraleite (Associação Brasileira dos Produtores de Leite).  Em novembro de 2020, o preço médio do litro de leite pago ao produtor no Brasil era de R$ 2,04. Em novembro de 2021, o valor subiu para R$ 2,18, aumento de quase 7%.

Segundo o presidente da Associação Brasileira dos Produtores de Leite (Abraleite), Geraldo Borges, o setor precisa  se organizar para sobreviver. “A gente sempre teve o desestimulo nos momentos em que o produtor recebe preços baixos pelo seu produto. Mas hoje estamos vivendo um momento diferente nessa pandemia, com todos os produtos subindo muito mais do que a remuneração. Nós estamos vivenciando um momento mais difícil ainda com o custo de produção inviabilizando o negócio de muitos pequenos produtores. Isso vem sendo observado há alguns anos”, observa Borges.

Durante as últimas sessões antes do recesso, o Congresso Nacional aprovou medidas emergenciais que beneficiam agricultores familiares, incluindo os quase 400 mil pequenos produtores de leite. Entre elas, renegociação de dívidas rurais com desconto de até 95%, liberação do Garantia-Safra para aqueles que perderam mais de 50% da sua produção e flexibilização das garantias, utilizando não só o rebanho mas também a produção para pagamento de dívidas. Em Minas Gerais, mais de 28 mil produtores devem ser beneficiados. O depósito do benefício começou a ser pago em  dezembro.

compartilhe