Patrocínio Logo TV Alterosa
Euro R$ 6,44
Dólar R$ 5,67
Sol com muitas nuvens durante o dia. Períodos de nublado, com chuva a qualquer hora.
Belo Horizonte
25º 17º

Zoetis lança vacinadora automatizada para tilápias

A Fishteq é uma inovação tecnológica na vacinação em tilápias no Brasil, diz empresa

Tilápia
O Brasil é o primeiro país a vacinar tilápias com o equipamento(Foto:APARD)
Washington Bonifácio
1 de setembro de 2021
compartilhe

A Zoetis lançou nesta semana a Fishteq NFT20, máquina exclusiva que, além de vacinar, conta, mede e classifica peixes. O equipamento marca um momento histórico de evolução tecnológica em saúde animal. Segundo a empresa, ele garante agilidade no processo e precisão na imunização.

“Com a chegada dessa tecnologia, o piscicultor terá maior performance na vacinação, além de elevada padronização dos lotes, já que a classificação dos peixes se dá através do processamento de imagens individuais digitalizadas. A máquina ainda ajusta a posição da agulha de acordo com o respectivo tamanho de cada animal, garantindo que a vacina seja aplicada no local correto”, explica a Engenheira de Pesca Danielle Damasceno, Gerente Técnica e Comercial de Aquicultura da Zoetis.

Fishteq NFT20 foto da máquina

A Fishteq NFT20 garante segurança, redução da manipulação dos animais, contagem e vacinação eficiente. (Foto: Zoetis)

De acordo com a Associação Brasileira da Piscicultura (Peixe BR), o Brasil é o quarto maior produtor mundial de tilápia, espécie que representa 60% da produção do país. Segundo levantamento da Peixe BR, nos últimos seis anos, a produção de peixes de cultivo obteve um crescimento de 38,7%, de 578.800 toneladas em 2014 para 802.930 toneladas no ano passado. Somente de tilápia foram 486.155 toneladas em 2020.

“O Brasil é o primeiro país a vacinar tilápias com este equipamento, que já é utilizado com sucesso em outros países para a vacinação automática de espécies como salmão e truta. A introdução desta nova tecnologia impulsionará ainda mais o crescimento da tilapicultura brasileira”, diz Renato Verdi, Diretor da Unidade de Negócios de Aves, Suínos e Aquicultura da Zoetis.

O Brasil é o quarto maior produtor mundial de tilápia. (Foto: APARD)

A vacina é o único meio de combater a infecção por estreptococos, uma das principais doenças na criação de tilápias que ataca indivíduos jovens e adultos. O primeiro registro de infecção de peixes por estreptococos foi em 1970, quando foram registradas mortes em massa e grandes prejuízos.

“As vantagens de um equipamento como esse são muitas: segurança, redução da manipulação dos animais, contagem e vacinação eficientes, registro e formação de banco de dados, além de biosseguridade, visto que vacina e agulha ficam isoladas de qualquer contato externo”, diz Danielle Damasceno.

A Zoetis, que desenvolveu a máquina, é uma das maiores empresas de saúde animal do mundo. Com 11.300 funcionários espalhados em mais de 100 países, no ano passado obteve um faturamento de US$ 6,7 bilhões.

compartilhe